domingo, 13 de fevereiro de 2011

PALESTRAS, FORMAÇÃO, ESPIRITUALIDADE...

A estratégia do amor

Esta atitude custa vida,
experiência do dia-a-dia e sacrifício




Eu estudo relações humanas há muitos anos, e vejo o comportamento das pessoas, a maneira como nos apegamos aos defeitos dos outros. Mas, hoje, de modo especial, Deus quer nos ensinar que os defeitos não estão no outro, mas em nós. Você não pode obrigar ninguém a gostar de você. Se, por exemplo, eu quiser ganhar clientes, precisarei agradá-los; não adianta os tratar mal. Se eu tenho uma loja de roupa e tratar mal o cliente, ele vai à próxima loja e quem o perde sou eu. Você está entendendo? Quem sai perdendo é você.

Tantos casais têm se separado, porque têm se prendido aos defeitos uns dos outros. A estratégia para mudar o relacionamento é mudar a pedagogia, mudar em primeiro lugar a nossa pessoa. O grande segredo é compreender o outro, com isso vamos ter muito mais motivos para perdoá-lo. Porque quando você conhece a história do outro, você começa a ver a pessoa de outra maneira. Você conhece a história do seu marido? Da sua esposa?

Quando você conhece a história do outro, você tem essa atitude de mudar as suas atitudes. Você vai perceber que Deus não criou aquela pessoa dessa maneira, e quem começará a mudar será você. É necessário que todos os dias você se questione: O que eu fiz no dia de hoje que ajudou a conquistar aquela pessoa ou afastá-la de mim?
Muitas vezes, nós nos irritamos com a atitude do outro, mas quando lemos a Palavra vemos que Deus nos trata totalmente diferente. Ele não fica bravo com nossas atitudes, porque “O Senhor te chamou, como a mulher abandonada e de alma aflita; como a esposa repudiada na mocidade, falou o teu Deus. Por um breve instante eu te abandonei, mas com imensa compaixão volto a acolher-te. Num momento de indignação, por um pouco ocultei de ti minha face, mas com misericórdia eterna compadeci-me de ti, diz teu salvador, o Senhor. Como fiz nos dias de Noé, a quem jurei nunca mais inundar a terra, assim juro que não me irritarei contra ti nem te farei ameaças. Podem os montes recuar e as colinas abalar-se, mas minha misericórdia não se apartará de ti, nada fará mudar a aliança de minha paz, diz o teu misericordioso Senhor” (Isaías 54, 6-10).

Deus não muda nunca, porque Ele nos conhece plenamente. E o mais importante: Ele usa de misericórdia sempre.

Quantos filhos já me disseram que iriam embora de casa por não suportarem mais os pais. E Deus diz: “Podem os montes recuar e as colinas abalar-se, mas minha misericórdia não se apartará de ti” . Quando temos o olhar de Deus em todas as coisas, tudo pode ser abalado, mas em tudo usaremos de misericórdia. E só um coração curado consegue fazer isso. Só um coração curado consegue abençoar o outro em vez de amaldiçoá-lo. Muitas vezes, pedimos a Deus a graça de sermos instrumentos eficazes para que possamos servi-Lo, mas Deus só faz de nós esses instrumentos, quando temos a disposição de amar. Não adianta você rezar pela conversão do seu esposo se você não o fizer com amor. Só o amor tem poder de transformação.

Para tocar uma luz no teto é necessário colocar uma escada e subir degrau por degrau. Da mesma forma, se você for utilizando de misericórdia com os demais, dia após dia, de degrau em degrau, você vai alcançar o coração de Deus.

Comprometa-se com você mesmo em mudar a sua maneira de ser, em mudar a sua pedagogia com o próximo. Escolha a melhor parte, escolha o céu.

(Artigo produzido a partir de homilia em 15/12/2005).

Padre Alir Sanagiotto, SCJ

Nenhum comentário:

Postar um comentário